A Literatura 2.0 e o iPad

Publicado: 9 de dezembro de 2010 por Alvaro Tadeu em Noticias

Já se foi o tempo em que viajávamos com 4 livros na mochila pra se passar as férias na casa da avó. O avanço de produtos agregadores de conteúdo vem se tornando cada vez mais ágil, e com isso fica fácil não termos que carregar nosso acervo quando formos sair para qualquer lugar.

Desde o gadget Kindle, e outros e-books recorrentes, a leitura se tornou cada vez mais móvel, disso não há contestações. Porém, continuava monótona e a sensação de ter um livro em mãos superava a de qualquer e-book monocromático.
Com a RESSUREIÇÃO dos tablets -sim, ressurreição – feita pela Apple, com seu gadget de olhos azuis, o iPad, a sensação boa de ter um livro em mãos se tornou apenas passado. O presente, seria agora, – caso tenha conexão 3G- poder comprar livros em QUALQUER LUGAR, devido à “primeira” loja que disponibilizou um aplicativo feito apenas para compras de livros digitais DIRETO do seu gadget (o iBooks). Ok que o Kindle já disponibilizava este recurso, mas a interface e o aproveitamento do iBooks é mil vezes mais bonita e caprichada, podemos numa simplória análise já perceber isso, daí as aspas em “primeira”. Com a interface do iBooks simulando uma estante de livros, a sensação de estar carregando seu acervo se aprimora. Não obstante tal feito, a mobilidade de recursos literarios ultrapassou a simples leitura.

Um exemplo da exorbitância e caprichosidade feita pela Apple é o app do Alice for the iPad, do livro Alice no País das Maravilhas, que com recursos visuais, táteis e, pasme,  auditivos, torna a experiência única se tratando de leitura. Veja aqui um sneak peak:

E aqui caso queira comprar.

Outro app bom e com a mesma função do iBooks é o app “Kindle” da Amazon – o que difere um do outro talvez sejam os preços…-.

Já é óbvio que os amantes de literatura se apaixonaram ainda mais pela atividade devido aos fatores citados anteriormente. Com o iPad, muitas pessoas que não lêem, ou lêem pouco, passam a achar a experiência agradável, vide o exemplo:

Alguém que compra o iPad visando apenas os apps de jogos (Angry Birds, N.O.V.A, etc…) se surpreende com a capacidade do aparelho, começa a utilizar outros recursos do mesmo, iPod, navegador, videos e vê o ícone do iBooks, começa a vasculhar, vê que tem dicionário rápido sendo selecionada qualquer palavra e gosta da experiência. Iminente que estamos falando de alguém sensato que quer fazer valer os 1649 reais gastos com esse aparelhinho (inho??? aparelho é melhor).

Como já falamos anteriormente, e mesmo sendo inferior não podemos deixar passar, o Kindle é um app bom pra quem apenas quer ler em seu gadget sem muita preocupação. Aqui o link pra quem gostou ou quer comparar (é de graça).

Quando falamos de literatura não só colocamos Livros em foco, mas sim HQs, revistas e, por que não, os jornais. A experiência com HQs é simplesmente sensacional, e qualquer leigo que ainda não é fã se apaixona imediatamente pela visão no iPad. Vide o app da Marvel, que tem apresentações em slide dos quadros, um ótimo recurso pra quem é aficcionado em quadrinhos como eu.

Tendo um iPad em mãos. Pode-se esquecer da dificuldade de locomoção a uma loja apenas pra comprar um livro e apenas acomodar-se à mobilidade de tal ação. ISSO é Literatura FROM THE FUTURE

Anúncios

Os comentários estão desativados.